Páginas

10 fevereiro 2015

Perdemos a Semântica


Foi-se o tempo do bom e velho sentido das coisas. Antigamente era tão bom xingar alguém, dizer boas verdades. Hoje por mais que você fale é difícil fazer a pessoa entender, seja por falta de vontade ou mesmo pela falta de leitura ou estudo.
Hoje ou a pessoa é barraqueira, no mais puro sentido da palavra. Se é que ele ainda existe. Ou ela é passional e deixa assim mesmo e se sente sempre uma vítima. Como sagitariano, sou a mistura dos dois.

Já não é novidade nenhuma, mas esses dias estava circulando num ônibus da capital e ouvindo o papo de duas amigas. Ou estou de fones ouvindo música bem alto, ou estou prestando atenção na conversa dos outros. Isso aprendi com uma excelente professora de literatura em São Paulo. Mas essas amigas que não tinham mais de 18 aninhos e falavam de música, comida, drogas, sexo – muito sexo – e como se aproximavam de seus homens, na verdade entendi essa parte como vítimas. Sim os homens ou o que elas procuram são tratados por elas quase que como presas – vítimas no mais puro sentido. Usou e depois joga fora. Por sorte a viagem era longa e pude me deliciar com a atual juventude. E sim de novo o titio aqui não cozinha mais na primeira fervura.

Passado o espanto da sexualidade juvenil. Ah se no meu tempo eu fosse assim! Outra coisa que me chamou muito a atenção foi o modo como elas se tratavam. Ou era “puta” ou era “vaca”.

O “puta” da segunda metade da década de 90 em diante, muito por influência de São Paulo e de algumas novelas tornou-se adjunto Adverbial de intensidade: “Puta casa essa que tu tem meu”, “Puta carro cê comprou mano!” Então o puta deixou faz tempo de ter aquele sentido que tinha no passado. Você usar “puta” associado ao nome de qualquer coisa era uma ofensa.

Hoje as meninas usam “puta” no lugar do nome da pessoa: “...sua puta! Você beijou ele?....”, ou então, “...sua puta! Mesmo assim você ficou com ele...” Perdeu-se a semântica.

O mesmo acontece com a vaca. Substitua “puta” por “vaca”, neste caso se aplica a semântica atual. Não a verdadeira semântica. Puta e Vaca eram usados como ofensas. As ofensas de hoje se transformaram em agressões. Vejo meninas partindo para as “vias-de-fato” na frente das escolas, será que por causa da semântica? Não sabem mais se xingar sem agressões? Não sabem mais puxar cabelo na hora do recreio?

Lá no início disse que sou barraqueiro e vítima. Sim. Como bom sagitariano sou festeiro e parceiro, mas também sou de lua. Agradeço aos que não entraram na minha pilha e assim evitamos incidentes maiores.

Por falar em vaca, eu tenho uma Vaca, é minha mascote de pelúcia.
Tiozinho e com mascote de pelúcia?
Não! Não sou isso que você pensou.
Só vivo num mundo diferente do seu.
O meu mundo.

05 janeiro 2015

Comemorando... Vai ser assim o ano inteiro...



Esse teve até direito a "ui".....

Porque 2014 foi puxado, desgastante e pra espantar toda essa "zica" do ano passado. E pra começar os trabalho aqui no blog em 2015, deixo aqui o nosso "ui"   :))

Mas que venha logo o carnaval

22 setembro 2014

O Banheiro

Já ouvi que o banheiro é o reflexo da vida e do estilo de uma pessoa ou família – ou alguma coisa semelhante, mas seguindo esta linha.

Quando visito alguém a primeira coisa que observo é o banheiro: se ele é arrumado, cheiroso, se tem toalhas limpas e bem dispostas, se tem tapetes e se estão limpos, se tem bolhas no teto, aquelas manchinhas de umidade, se a pessoas é prevenida e estoca papel higiênico, se ao redor da pia está tudo limpo e harmonioso. Essas coisas. Na verdade observo toda a casa, mas o banheiro e a cozinha são lugares especiais. Acredito que se a pessoa mantiver o banheiro bem arrumado fará o mesmo na rua.

O banheiro é realmente um lugar especial – pelo menos pra mim.

É um dos lugares que procuramos para colocar em ordem os pensamentos. Para colocar para fora o que é ruim, para chorar sem ninguém ver. É onde lavamos ou tentamos a alma e corpo.

28 junho 2014

Torcer Torcer e Torcer....

Hoje é dia de jogo da Seleção Brasileira, faltam menos de 30 minutos e espero sinceramente que ela passe pelas oitavas-de-final, que no mínimo chegue até a Grande Final.

Sou torcedor só de Copa do Mundo. Eliminatórias e amistosos eu não torço com o mesmo fervor, na verdade nem assisto. É uma pena esta copa eu não poder acompanhar todos os jogos como fiz na última, por motivos profissionais, mas consigo ouvir a quase todos e assisto alguns.

Lembro que ano passado o país vivia uma revolução nas ruas – todos contra a Copa do Mundo no Brasil. Pra mim uma minoria era contra e a grande maioria manipulada. Mas 2014 chegou e com ela veio a tal Copa e pelas ruas vimos poucos manifestantes, poucos tumultos e poucas confusões.

Somos todos brasileiros e como bom brasileiro gostamos de futebol. E quem não gosta de futebol gosta da Seleção Brasileira. Não poderia ser diferente. Essa semana vi fotos da cidade de São Paulo deserta em dias de jogos da Seleção. É possível isso? Em plano meio de semana?
Claro que é possível. Estamos todos na frente de uma televisão. Inclusive os manifestantes.

Mas espero mesmo que o Brasil passe e chegue na final para que não tenhamos mais manifestações, pelo menos durante a Copa do Mundo. Essas manifestações já estão bastante descredibilizadas em razão dos roubos e depredações do patrimônio público e privado.

Voltar agora, numa possível eliminação. Seria a assinatura no atestado de burrice: “voltei só pra ser vândalo”, porque enquanto havia chance de classificação você estava lá, na frente da TV descarregando as energias torcendo pela seleção. Agora vai querer quebrar e tumultuar. Por favor né.

Por ser brasileiro torço pela Seleção Brasileira, torço pelo Brasil, por um país consciente e inteligente, que sabe o real lugar para manifestar sua opinião.




Pena que muitos perdem essa tal consciência.


Imagem da Internet

03 fevereiro 2014

O problema da bipolaridade

Sou uma pessoa muito bipolar. Quem me conhece na certa só me conhece em determinada situação. Sou uma pessoa no trabalho, outra em casa, outra namorando, mas em todas apresentou um pouquinho de cada personalidade. Típico do bipolar.



18 janeiro 2014

2014 O Ano da Mudança

Como chamada de novela nova da Rede Globo, a frase “2014! É O Ano da Mudança.” pelo menos pra mim já encheu bastante. Se for mesmo o ano da mudança quero é lucrar com ele. Vou comprar um caminhão e fazer as tais mudanças pra todo mundo.



16 janeiro 2014

Domingo de Inspiração


Numa bela tarde de domingo, com muito calor na rua e pouquíssima vontade de torrar e suar no sol. Resolvemos colocar nossa inspiração pra fora.