Páginas

10 outubro 2007

PENSAMENTO DA SEMANA

Devaneios

Família. Lembro que escrevi na semana passada algo como: “ainda bem que tenho saúde e família”, foi mais ou menos isso, ou pelo menos essa idéia. Não quero procurar.
Pois bem. Hoje já não penso assim.
Minha mãe faz dias vem tentando dar entrada nos papéis do seu divórcio. Trinta e tantos anos depois. Digo isso porque o meu pai só vi uma vez, quando era pequeno depois disso nunca mais..
Pra mim ele não existe! Assim realmente espero!
Com esse enrosco ela quer que eu procure por ele.
Eu perguntei:
“- Pra quê? Por que?”.
Ela não paga advogados? Pois eles que façam isso. Que se virem!
Imagina a situação: não vivo lá uma maravilha financeira, mas ainda tenho um pouco de saúde, minha mãe lá no sul é igual. Ela tem lá seus bens, mesmo que relativamente, e eu vivo tranqüilamente sem a presença física de um pai por todos esses anos.
Bem ainda na imaginação procuro pelo meu pai e descubro que ele já com idade está numa pior.
Muitos vão dizer que sou ingrato ou que não sou humano ou até mesmo que não tenho amor no coração.
Pois esse sou eu. Muito Prazer!
Se não gostarem, peguem uma senha e vão para o final da fila. Tô cagando para o que os outros pensam.
Pouco me importa a condição dele hoje, pode ele ser podre de rico que não quero nem saber da saúde dele.
Sei que os filhos são postos ao mundo e quase todos trilham seu próprio caminho. Foi o que eu fiz.
Mesmo trilhando nosso caminho nos preocupamos com aqueles que temos “minha mãe”, por exemplo que sempre me criou.
Por que vou me preocupar com alguém que nunca se preocupou comigo? Isso não é ciúmes, remorso ou qualquer coisa do gênero, pra mim é a pura realidade.
Não pretendo e não vou procurá-lo. Ponto final!
Pessoas são pagas pra fazer isso e muito bem pagas.

Estou um pouco triste, talvez bem triste e revoltado. Não com o caso sobre aquele que chamam de meu pai, mas porque minha viajem para o Sul está meio na dependência ou pendência, sei lá.
Em trinta e poucos anos de carreira fiz uma viagem de avião, queria tê-la feito com a Duxa, mas não foi e queria muito que essa desse certo.
Vou continuar torcendo... Porque não sou rezar!

Lembra do “amor no coração”?
O que tenho é muita saudade.
Do quê?
Não sei!
Atualmente saudade da minha Terra. Queria fazer muita coisa lá junto com a Duxa, meu Brother, minha segunda Família.
Às vezes tenho vontade de sentar a bunda no canto da sala e ficar sozinho, ouvindo músicas bem “down” na maior “deprê”.
Alguém já teve vontade de fazer isso ou só acontece comigo?
Estou precisando muito disso. Uma vontade de chorar, mas chorar por mim, pra mim, esquecer que existe um mundo que gira, me deixa tonto e me trás problemas.

Pessoas Sinceras:
Escrevo sobre tantas coisas e juntas que, às vezes, esqueço de algumas.
Voltei faz algum tempo a trabalhar como recepcionista de um salão de cabelereiro, lugar muito legal, mas vivo rodeado de futilidades.
Estou ciente que deve existir lugares assim, pois as clientes mais cultas e/ou executivas, vão a esses lugares muitas vezes pra relaxar.
Compreendo e participo (...)
Mas não preciso disso na minha vida, no meu final de semana.
Algumas pessoas acham que meu ouvido é penico.
Sou fútil. Sou algumas vezes sim.
Gosto de assistir ao Pânico na TV, ao Casseta e Planeta, gosto de ouvir os Dedés na 89fm, ao Jonelson na MIXFM 106.3. Dou risada de coisas que poucos riem.
Mas e daí? Não preciso da futilidade dos outros, tenho bastante da minha quando quero.
Pessoas sinceras néh?
Pois bem, convivo faz anos com o mundo gay, não tenho preconceitos nem pré-conceitos, mas oh povo fútil!
Pior, falam coisas sem pensar.
Se estou “gordinho” não preciso que me lembrem disso, estou ciente pois me vejo no espelho todos os dias, adoro um espelho. E sou feliz, feliz comigo mesmo que é importante.
Não preciso procurar uma clínica pra arrumar um nariz, uma boca, colocar qualquer tipo de prótese.
Como é que alguém que pensa em remontar o corpo tem a coragem de criticar seja como for qualquer semelhante?????
Decidi que não vou mais tolerar esses comentários. Não de fúteis.
“- Você tá gordinho/gordo, precisa emagrecer.....!”
“- Não vou te dar a resposta que tu merece em consideração aos demais...”
Ou vou apelar também pra algo pejorativo, que nesse mundo dói bem mais (...)


Tenho poucos amigos.
Melhor, não tenho amigos. Os que tenho em SP foram absorvidos da Duxa.
Se gosto deles? Claro!
São pessoas incríveis, maravilhosas! Quando querem!
Caralho não quero perder essas pessoas do convívio, só quero cortar a futilidade que os impera.
Se bem que como eu já disse: “tem vezes que só sendo fútil mesmo”.

Preciso ter calma.
Parar de ignorar as pessoas,
O modo como vivem ou pensam.
Preciso parar de ignorar os acontecimentos.
De mandar/desejar que se fodam.

Preciso mudar para:
A vida é assim mesmo!
Vamos achar uma solução!
Tu vais achar alguém melhor!
A fila anda, tu precisa continuar vivendo!


Putz! Fodam-se pois não consigo ser uma pessoa normal.
Normal é como sou hoje.
Se não gosta/gostou: ah você já pegou a senha nos parágrafos anteriores néh? Dá uma olhadinha pra trás e vê quanta gente mais já chegou??!!!


Tenho plena certeza que sou feliz assim.
Mas será que estou feliz?
Semana passada escrevi que alguns criam problemas para serem felizes.
Será que preciso criar algum?
Mais????

2 comentários:

Tatovargas disse...

vou seguir a tua idéia! vamos ver no que vai dar!

Sem Noção disse...

Ainda bem que me deram força, pois se fosse uma arma!